Ser "Product Manager" precisa mesmo ser tão complicado?

05 de maio de 2020 • um papo de 4min sobre produto

Já começarei esse texto avisando: não tenho a resposta para a pergunta do título. A minha ideia aqui é colocar pra fora as duras verdades que entendi nesse tempo e também ter um texto para referenciar no futuro, quando eu souber responder a pergunta rs.

Fiz o curso de Digital Product Leadership da Tera e me apaixonei por produto. Era exatamente o que eu queria pra mim. Estava em um momento da minha carreira que conseguiria fazer essa transição de maneira segura e em um produto com um super potencial. Parecia tudo perfeito.

Mas a cada dia que passava ficava mais confuso pra mim responder "o que exatamente eu fazia" e por consequência "se estava acertando no que fazia". Ansiedade, baixa autoestima, irritação, preocupação, falta de concentração... Tomava doses dessas e outras sensações no café da tarde. Se você se sentiu ou ainda se sente assim, deixo aqui um abraço bem apertado em você.

Os livros, meetups e afins ajudam, mas acredito que ser produteiro exige um conhecimento interno que é meio solitário mesmo e exige tempo (coisa que eu ainda não tenho). Por isso resolvi fazer uma das coisas que mais gosto para organizar os pensamentos: pontuar o que "eu sei" e o que "sei que não sei".

O que eu já sei sobre Product Management

Aqui são as verdades que acredito hoje e que, querendo ou não, preciso encará-las de frente.

As pessoas sempre sabem mais do que eu

Estava a dois anos no time de engenharia como front-end. Ainda me mantive com a ideia de que podia lidar com o produto e continuar codando... Mas não. As coisas mudam muito rápido e os engenheiros eram as melhores pessoas pra lidar com o código, não eu. Como designer achava que teria toda a autonomia do discovery sozinha, mas não. Sempre me boicotava tentando fazer o melhor layout ou passava muito tempo pensando em UI ao invés de ouvir o usuário. Os designers são as melhores pessoas para lidar com o design, não eu.

Hoje eu estou no papel de promover o melhor ambiente para que o meu time voe.

É o cliente quem conhece os problemas que tem, é o suporte que sabe como funcionam os processos, é o comercial que entende do mercado.

As pessoas sempre vão esperar as melhores respostas de mim

Eu sei que nada sei... As pessoas não. É esperado por elas que eu saiba responder sobre o ciclo de desenvolvimento, sobre a feature passada que lançamos, sobre como funciona determinada tela, sobre como o último lançamento do concorrente nos afeta...

É importante cultivar esse senso de confiança que as pessoas tem nas minhas respostas sobre o produto, mas sabendo que eu não sei de nada eu preciso saber exatamente onde estão as respostas.

Cabe a mim saber fazer perguntas, pesquisar o que ninguém está olhando, documentar o que possivelmente está só no senso comum e criar ciência sobre o que estamos descobrindo. Não é porque eu não sabia ontem e preciso continuar sem saber hoje.

Se der certo, parabéns para o time. Se der errado, fui eu

Por mais que eu já tenha lido muito sobre essa verdade, a primeira vez que vivi foi bem dolorida. O pior pra mim não foi lidar com a responsabilidade pelo erro, mas sim garantir que o time continuaria engajado para tentarmos novamente.

Acredito que a cultura do experimento ajuda muito a tirar o peso dessa verdade. Ajuda a olhar pro aprendizado ao invés do resultado.

De qualquer forma essa verdade me faz buscar a cada dia entender mais sobre "quais informações faltaram aqui e que nos fizeram errar?", para que eu traga mais contexto pro time na nossa próxima tentativa.

...essa verdade me faz buscar a cada dia entender mais sobre "quais informações faltaram aqui e que nos fizeram errar?", para que eu traga mais contexto pro time na nossa próxima tentativa.

O que eu não sei sobre Product Management

Essa parte é engraçada. Existe um limite meio doido entre um limbo de pensamentos estranhos e aquilo que a gente já conhece um pouco para começar a ter dúvidas sobre.

Certamente tem MUITA coisa em produto que ainda não sei, mas é tão confuso pra mim que ainda não consigo sintetizar. Então aqui vão algumas das perguntas que mais martelam na minha cabeça hoje.

Qual o próximo passo?

Credo, alguns dias eu passo horas só com essa pergunta na cabeça. Não ter uma estratégia clara de produto, do contexto, das dores e das metas deixam os dias muito difíceis. E o ponto aqui é: "quando eu sei que isso está claro?".

Já errei segmentando clientes por aspectos que comercialmente nao faziam sentido, criando features que geraram ainda mais problemas depois de prontas, interpretando mal os insights do discovery... Nada é tão certo quanto parece. E nessa incerteza toda dizer qual o o próximo passo é uma grande tormenta.

Mas ninguém viu isso antes?

Existe o plano e existe a realidade, e as vezes essa realidade é muito cruel. Nem da pra contar a quantidade de vezes que no meio do ciclo de desenvolvimento tivemos que voltar pro papel pois determinada iniciativa se tornou muito maior ou muito mais problemática do que o planejado.

Eu especifiquei mal? A gente saiu do objetivo? Nos comunicamos mal? Em que momento a iniciativa mudou de forma? Onde erramos?

Não faço ideia do motivo para que eu esbarre tanto nesse problema. Só sei que o que parece óbvio hoje pode não ser mais no minuto seguinte.

Sou uma boa produteira?

Essa foi só pra finalizar o drama rs. Penso nisso quase todos os dias, e também em o que significa ser uma boa produteira.

Estou lendo Inspired pela terceira vez e espero acalmar um pouco meu coração no final da leitura.


E ai, me conta: Ser "Product Manager" precisa mesmo ser tão complicado?

me conta o que achou:

hey,
duvido você
compartilhar

twitterlinkedinemailcopiar link

all
design/produto
front-enddados
música/back-end